Cavani no Flamengo: Fato ou Fake News

Uruguaio já manifestou desejo de disputar a Libertadores, mas salário deve ser obstáculo

Edinson Cavani é o objeto do desejo da torcida do Flamengo. A informação de que o uruguaio tem contrato com o Paris Saint-Germain até julho de 2020 — o que lhe permitiria negociar seu futuro a partir de janeiro do ano que vem — aliada à falta de movimentação do clube em estender o vínculo animaram a torcida rubro-negra. A personalidade do jogador também faz crer num sonho possível: homem de hábitos simples e poucas vaidades, embora a vasta cabeleira sugira o contrário, Cavani costuma passar férias em sua fazenda no interior do país natal e afirmou neste ano que adoraria ganhar a Libertadores. Durante a Copa América, mostrou familiaridade com o futebol brasileiro, elogiou o campeonato e disse que nunca se sabe onde poderia jogar no futuro. Além de tudo, é fã de pagode.

O nome do atacante é hiperventilado nas redes sociais rubro-negras, em sites dedicados ao clube e perfis influentes. Nesta terça, foi a vez de o jornalista Mauro Cezar Pereira afirmar que Cavani tem o perfil de jogador a quem o Flamengo pode fazer uma consulta. No clube, porém, o assunto é tratado atualmente com pouco interesse, por se tratar de um centroavante no auge, aos 32 anos, com enorme mercado no exterior e, sobretudo, caríssimo.

Formado nas categorias de base do Danubio, Cavani recebe mensalmente 1,5 milhão de euros, o equivalente a R$ 6,6 milhões na cotação desta terça, informa o jornal “L’Équipe”. É aí que a conversa começa a soar irreal: a não ser que o uruguaio topasse uma forte redução, o salário de Cavani explodiria o atual teto salarial do Flamengo. Para se ter uma ideia, o uruguaio Arrascaeta recebe R$ 1,5 milhão mensais, enquanto Gabigol ganha R$ 1,25 milhão e Vitinho, R$ 1 milhão.

Caso Cavani se torne uma prioridade, alguns jogadores terão que ser vendidos. Aliás, bem vendidos, de forma a manter o fluxo de caixa. E não está nos planos dos cartolas da Gávea desequilibrar o elenco com um reforço de peso tão diferenciado dos demais.

Assim que Jorge Jesus chegou ao clube, o Flamengo investiu fortemente numa proposta pelo centroavante italiano Mario Balotelli. O clube recuou quando Mino Raiola, o empresário do atacante, pediu vencimentos de R$ 2 milhões por mês, por temer que a contratação seria nociva à saúde financeira da Gávea. Balotelli acabou no Brescia, mas o Flamengo se satisfez por ser recebido por um superagente do mercado global.

Pensando no ataque, o clube prioriza uma proposta para a contratação em definitivo de Gabigol. Não será estranho se alguns jogadores deixarem o elenco nas próximas janelas – Reinier é um dos que mais interessam aos grandes centros europeus, pela qualidade e pela juventude. Por outro lado, jogadores acima dos 25 anos, como o zagueiro Rodrigo Caio, (recentemente observado pelo Barcelona, segundo o diário “Mundo Deportivo”) e o atacante Bruno Henrique, poderiam atrair propostas de mercados alternativos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *